-   -  Monday 24th of April 2017 -  www.kaluach.org

Quem esta on-line

Nós temos 9 visitantes online

Facebook Friends

Connect with Facebook
Home O Cântico do Universo
Adicione no Facebook Adicione no MySpace Siganos no Twitter Veja os videos no Youtube
Perek Shirá- Cântico do Universo PDF Imprimir E-mail
Escrito por Pessach (Paulinho) Rosenbaum   
Dom, 31 de Maio de 2009 18:16
AddThis Social Bookmark Button

PEREK SHIRÁ- O CÂNTICO DO UNIVERSO

Atribuído ao Rei David e seu filho Salomão, que em paz estejam.

Capaz de atrair sustento, saúde e salvação de todos os males àqueles que o recitarem.

Recite-o todo, ou o capitulo referente ao dia da semana - são 6 capítulos para os seis dias úteis;

Logo após, recite o Pedido que está em Português no fim da pagina.

 

E que Hashem atenda de pronto todos os teus pedidos !

Em Memória de Rav Yaakov Menachem ben Rav Chaim Yehuda Leib, que dedicou-se a divulgar este documento sagrado.


Preâmbulo

Disse Rabi [Yehuda]: quem se ocupar do Cântico do Universo neste mundo, logrará aprender e ensinar, cuidar, cumprir e fazer (as Mitsvót) e seu estudo será perene; salvar-se-á do Iétser Hará e de todo o tipo de aflição, dos males do túmulo, da sentença do inferno e das dores que precedem a chegada do Mashiach; seus dias serão prolongados até os dias de Mashiach e do Mundo Vindouro.

Assim ensinou Rabi Eliezer: todo aquele que recitar este cântico neste mundo, terá o mérito de recitá-lo no Mundo Vindouro, como está escrito: "Então cantará Moisés". Não está escrito “Então cantou Moisés”, senão “cantará” – referência ao cântico que ele entoará no futuro.

Assim ensinou Rabi Eliezer, o grande: quem se ocupar deste cântico todos os dias tem o meu testemunho, que merecerá o Mundo Vindouro, salvar-se-á de todas as aflições, do Iétser Hará e das sentenças rigorosas, do anjo mau e de todos os tipos de espíritos danosos. Decida com todo o teu coração e toda a tua alma que conhecerás os Meus caminhos e cuidará dos portais dos Meus Santuários e das Minhas Leis, e que cumprirás todos os Meus estatutos e mandamentos. Guarda a Minha Torá em teu coração, e que o Meu temor esteja sempre diante dos teus olhos. Fecha tua boca e tua língua contra o pecado e a transgressão e Eu estarei contigo em todos os lugares para onde te dirigires, ensinando-te inteligência e discernimento de todas as coisas. Saiba também, que tudo o que o Altíssimo, bendito seja, criou neste mundo, não o criou senão para a Sua glória, como está escrito: Tudo o que for chamado pelo Meu Nome e Minha Glória, eu o criei, Eu o forjei e até mesmo o fiz. 

Nossos Sábios dizem que David, Rei de Israel, logo ao terminar seu livro de Salmos disse estas palavras ao Eterno, num momento de exultação: "Tu criastes no universo, uma criatura que recita louvores e hinos superiores aos meus. Naquele exato momento, uma rã surgiu e lhe disse: 'David, não seja teu espírito tão altaneiro por eu estar dizendo cânticos e louvores maiores que os teus. Além disso, cada um dos meus cânticos comporta três mil parábolas, como está escrito: 'Ele disse três mil parábolas e seu cântico foi de cinco mil. Não só isso, como eu me ocupo de uma grande Mitsvá e esta é a Mitsvá da qual eu me ocupo: 'Existe à beira-mar uma espécie, cujo sustento provém das águas; quando ela está faminta, me toma e me consome. A Mitsvá é esta: cumprir o que está escrito – 'Se teu inimigo tem fome dá-lhe pão e se tem sede dá-lhe de beber, pois estarás colocando brasas sobre sua cabeça e o Eterno te recompensará por isto. Não leias 'te recompensará por isto', senão, 'Te dará o complemento de tudo o que precisas'."


Primeiro capítulo:

Os céus dizem: Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento atesta a obra de Suas mãos. (Salmos 19:2)
A terra diz: A D-us toda a terra e tudo o que ela contém" (ibid. 24:1). E também: Dos confins da Terra ouvimos cânticos de glória aos justos (Isaías 26:16).
O paraíso diz: Levanta-te, vento norte, e vem tu, vento sul, sopra no Meu jardim para que destilem os seus aromas (Cântico dos cânticos 4:16).
As trevas dizem: Pois fartou a alma sedenta e satisfez com bondade a alma aflita (Salmos 107:9).
O deserto diz:  Os desertos e as terras áridas se regozijam e os desertos florescerão como as tulipas (Isaías 35:1). 
Os campos dizem: O Eterno fundamentou a terra pela sabedoria: Ele estabeleceu os céus pelo entendimento (Provérbios 3:19).
As águas dizem: Quando sua voz ressoa como uma grande massa de água dos céus e faz subir os vapores dos confins da Terra (Jeremias 51:16).
Os oceanos dizem: Acima porém, do bramido das águas mais volumosas, acima do quebrado das águas do mar, está o Eterno, que é poderoso nas alturas! (Salmos 93:4).
Os mananciais dizem: Músicos e cantores sobre ela afirmarão (Salmos 87:7).


Segundo capítulo:

O dia diz: Um dia ao seguinte transmite esta mensagem; uma noite à outra se comunica (Salmos 19:3).
A noite diz: Proclamar desde o amanhecer Tua bondade e, às noites, Tua felicidade (Salmos 93:3).
O sol diz: O sol e a lua ficaram parados em suas moradas: Israel se moveria pela luz de Tuas setas; pelo fulgor de Tua lança cintilante (Habacuque 3:11).
A lua diz: Para marcar as estações criaste a lua, e ao sol determinaste o tempo de seu ocaso (Salmos 104:19). 
As estrelas dizem: Tu és o Eterno, Tu só, fizeste os céus, os céus dos céus, com todas as legiões celestes; a terra e tudo o que nela se encontra, os mares e o que neles há; e Tu as preservas a todos: e as legiões celestes Te adoram. (Nechemia 9:6).
Nimbos dizem: Ocultou-Se num véu da escuridão, envolto em Sua tenda, com águas escuras e nuvens espessas. (Salmos 18:12).
Nuvens de glória dizem: Mesmo que Ele as sobrecarregue, seguirão expandindo Sua luz. (Jó 37:11).
O vento diz: Direi ao norte: entrega os cativos, e ao sul: Não os retenhas, traze de longe Meus filhos, e das extremidades da terra, Minhas filhas. (Isaías 43:6).
Relâmpagos dizem: Faz relâmpagos precederem as chuvas, e libera o vento de seus reservatórios. (Salmos 135:7).
O orvalho diz: Serei para Israel como o orvalho; ele brotará como a rosa, e lançará as suas raízes como as do Líbano. (Oséias 14:6).
As chuvas dizem: Chuvas de dádivas derramaste e, ao se esgotar a terra de Tua possessão, Tu a restabeleceste. (Salmos 68:10).



Terceiro capítulo:

As árvores do campo dizem: Então cantarão de júbilo todas as árvores da floresta diante do Eterno, porque Ele vem; sim, Ele vem julgar a terra. (1 Crônicas 16:33).
As uvas dizem: Assim disse o Eterno, “Quando as uvas forem encontradas nos cachos e disser, não as destruas, pois elas têm bênçãos, assim farei aos que Me servirem, pois não destruirei a todos”. (Isaías 65:8)
O figo diz: Aquele que cuida de uma figueira comerá de seu fruto. (Provérbios 27:18). 
A tâmara diz: Um justo florescerá como uma tamareira; como um cedro no Líbano ele crescerá. (Salmos 92:13).
Diz a maçã: Qual a macieira entre as árvores do bosque, tal é o meu Amado entre os filhos; desejo muito a Sua sombra, e debaixo dela me assento; e o Seu fruto é doce ao meu paladar. (Cântico dos cânticos 2:3).
A espiga de trigo diz: Um Cântico das Ascensões. Das profundezas eu Te clamei, ó Eterno. (Salmos 130:1)
A espiga de cevada diz: Uma prece de um oprimido, quando se sente desfalecer e derrama ante o Eterno sua súplica. (Salmos 102:1)
As demais espigas dizem: As pradarias se revestem de rebanhos, grãos cobrem os prados e clamor de exultação e modulação de canções deles emanam. (Salmos 65:14).
Os vegetais do campo dizem: Regas seus sulcos, fazes por seus canais correr a água, com as gotas da chuva a fazes germinar e sua flora abençôas. (Salmos ibid.11)
As pastagens dizem: Perpétua é a glória do Eterno! Possa Ele sempre se alegrar com o que criou. (Salmos 104:31).


Quarto capítulo

O galo diz: no momento em que o Eterno visita os Tsadikim (justos) no Gás Éden, todas as árvores frutíferas borrifam perfumes com alegria e louvores, e então, Ele também Se alegra e começa a louvar.
Na primeira voz Ele diz: Erguei, ó portas, os vossos batentes; ampliai-vos, ó portais antigos, e entrará o Rei da Glória. Quem é o Rei da Glória? O Eterno, forte e poderoso, o Eterno, poderoso na batalha. (Salmos 24:7-8). 
Na  segunda voz Ele diz: Erguei, ó portas, os vossos batentes, sim, ampliai-vos, ó portais antigos, e entrará o Rei da Glória. Quem é este Rei da Glória? O Eterno dos exércitos, Ele é o Rei da Glória.
Na terceira voz Ele diz: Levantem, Tsadikim e ocupem-se da Torá, para que seja a vossa recompensa duplicada no Mundo Vindouro.
Na quarta voz Ele diz: A Tua salvação espero, D-us. (Gênesis 49:18)
Na quinta voz Ele diz: Até quando você permanecerá deitado, ó preguiçoso?! Quanto despertará do seu sono? (Provérbios 6:9).
Na sexta voz Ele diz: Não ames o sono para que não pereças, abre os olhos e sacia-te com teu pão.
No sétimo tom Ele diz: É chegado o tempo da intervenção do Eterno – pois eles infringiram a Tua Lei. (Salmos 119:126).
A galinha diz: É Ele quem fornece alimento a todos os seres vivos, porque eterna é Sua misericórdia. (Salmos 104:31).
A pomba diz: Como o cavalo que empina, assim chilrearei; gemerei com a pomba. Meus olhos cansaram ao olhar para cima; ó Eterno, sinto a minha opressão, sê minha fortaleza. (Isaías 38:14).
Diz a pomba diante do Altíssimo: Senhor do Universo, seja o meu sustento amargo e provido por Tuas mãos e não seja doce como o mel e provido por mãos humanas.(Talmud, Eruvin 18b).
A águia diz: Ó Eterno, Senhor dos exércitos, D-us de Israel, vem e julga o procedimento de todas as nações; não favoreças os traidores perversos. (Salmos 59:6).
A garça diz: Rendei graças ao Eterno com o saltério e com a harpa. (Salmos 33:2).
O pássaro diz: Até o pássaro encontrou uma casa, e a ave livre um ninho para si, onde coloca seus filhotes, junto aos Teus altares, ó Eterno dos Exércitos, meu Rei e meu D-us. (Salmos 84:4).
A andorinha diz: Para que possa sempre cantar a Tua glória, ó  Eterno, D-us meu, ações de graças dedicar-Te-ei por todo o sempre. (Salmos 30:13).
O Tassit diz: Meu socorro vem do Eterno, o Criador dos céus e da terra. (Salmos 121:2).
O mergulhão diz: Luz eterna foi semeada para os justos e alegria para os de coração puro. (Salmos 97:2).
O môcho diz: Consolai, consolai o Meu povo, diz o vosso D-us. (Isaías 40:1).
A cegonha diz: Falai ao coração de Jerusalém e clamái-lhe que está acabado o tempo que lhe foi fixado, que está perdoada a sua iniqüidade; que já recebeu em dobro da mão do Eterno por todos os seus pecados. (ibid. 2)
O corvo diz: Quem provê o sustento do corvo quando sua cria clama ao Eterno? (Jó 38:41).
O estorninho diz: Sua semente será conhecida palas nações e sua descendência pelos povos da terra; todos os que o verem saberão ser semente abençoada pelo Eterno. (Isaías 61:9).
O pato doméstico diz: Louvai ao Eterno, proclamai o Seu Nome! Divulgai entre todas as nações Seus feitos. Entoai cantos e hinos narrando todos os Seus prodígios. (Salmos 105:1-2).
O pato silvestre que vaga pelo deserto, quando vê os filhos de Israel  ocupando-se da Torá, diz: ‘Uma voz clama no deserto. Preparai o caminho do Eterno (para fazer voltar os cativos), endireite, no ermo, uma estrada para o nosso D-us (que andará diante deles)’ (Isaías 40:3). E quando encontra seu alimento no deserto, exclama: ‘Maldito o homem que confia nos homens; bendito o homem que confia no Eterno e o Eterno será a sua fortaleza’ (Jeremias 17:5-7).
Os marrecos dizem: Confiem eternamente no Eterno, pois o Eterno D-us é Rocha eterna. (Isaías 26:4).
A harpia diz: Emitirei um silvo e os reunirei, pois Eu os redimi e eles agora são muitos, como eram antes de se multiplicarem (Zacarias 10:8).
O gafanhoto amarelo diz: Ergo meus olhos para o alto, de onde virá meu auxílio (Salmos 121:1)
O gafanhoto branco diz: Ó Eterno, Tu és o meu D-us; eu Te exaltarei, louvarei o teu Nome, pois Tu operaste grandes maravilhas – verdadeiros conselhos vieram de longe (Isaías 25:1).
A lagartixa diz: Louvai-O com o clangor de címbalos; louvai-O com altissonantes trombetas (Salmos 150:5).
A môsca diz, no momento em que os judeus não estão se ocupando com a Torá: Uma voz diz a Isaías: Clama! E o meu espírito responde: Que hei de clamar?Isto: Toda criatura má é como a erva, e toda a sua força como a flor do campo; seca-se a erva, murcha-se a flor, porque o hálito do Eterno nela soprou; na verdade, os maus dentro o povo são como a erva. Seca-se a erva, murcha-se a flor, mas a palavra do nosso D-us subsistirá para sempre (Isaías 40:6-8). Eu darei paz, paz àquele que está longe como também ao que está próximo, disse o Eterno, e os curarei.  
Os animais marinhos dizem: Louvai o Eterno, ó monstros marinhos e habitantes dos abismos (Salmos 148:7).
A baleia diz: Rendei graças ao Eterno porque Ele é bom; porque eterna é Sua misericórdia (Salmos 136:1).
Os peixes dizem: A voz do Eterno ressoa sobre as águas; o D-us de Glória faz trovejar, o Eterno está sobre a vastidão dos mares (Salmos 29:3).
O sapo diz: Bendito seja o Nome daquele cujo glorioso Reino é eterno.


Quinto capítulo:

Os animais puros de couro fino dizem: Quem é entre os poderosos como Tu Eterno? Quem é como Tu, poderoso de majestosa santidade, temido em louvores, operando maravilhas? (Êxodo 15:11).
Os animais puros de couro grosso dizem: Erguei canções de júbilo a D-us, que é nossa fortaleza, façam soar alegres vozes ao D-us de Jacob (Salmos 81:2).
Os animais impuros de couro fino dizem: Faze o bem, ó Eterno, aos justos e aos retos de coração (Salmos 125:4).
Os animais impuros de couro grosso dizem: O trabalho de suas mãos proverá seu sustento, feliz será e tudo lhe correrá bem (Salmos 128:2).
O camelo diz: o Eterno bramirá das Alturas e proferirá  Sua voz, de sua sagrada habitação; e Ele bramirá fortemente desde sua morada (Jeremias 25:30).
O cavalo diz: Assim como se fixam os olhos dos servos nas mãos de seus senhores e os da serva nas de sua senhora, voltam-se nossos olhos para o Eterno, nosso D-us, e Nele permanecerão fixos até que de nós Se compadeça (Salmos 123:2).
A mula diz: Ao ouvir Tuas palavras, agradecer-Te-ão e louvarão todos os reis da terra (Salmos 138:4).
O burro diz: A Ti, Eterno, pertence a grandeza, o poder, a glória, e a eternidade e a majestade, e tudo que existe nos céus e na terra; a Ti pertence a realeza e Tu és alçado acima de tudo (1 Crônicas 21:11).
O touro diz: Então cantaram Moisés e os filhos de Israel este cântico ao Eterno, e disseram: Cantarei ao Eterno, que gloriosamente Se enalteceu; cavalo e seu cavaleiro jogou no mar (Êxodo 15:1).
Os animais silvestres dizem: Bendito Aquele que é bom e faz benevolência.
A gazela diz: Quanto a mim, cantarei a Teu poder e exaltarei a cada manhã Tua benevolência, pois Tu tens sido meu abrigo e meu refúgio em tempos difíceis (Salmos 59:17).
O elefante diz: Quão magníficas são Tuas obras, ó Eterno, e quão profundos são Teus desígnios (Salmos 92:6).
O leão diz: O Eterno sairá como valente, despertará o seu zelo como homem de guerra. Retinindo, clamará em alta voz; mostrará Sua força sobre Seus inimigos (Isaías 43:13).
O urso diz: Levantem a sua voz em cânticos, o deserto e suas cidades, as aldeias habitadas no deserto de Kedar; exultem os que habitam nas rochas e clamem em alta voz com alegria, dos cumes dos montes. Dêem glória ao Eterno, e anunciem nas ilhas o Seu louvor (Isaías 43:11-12).
O lôbo diz: Sobre toda coisa de delito, sobre boi, asno, cordeiro, vestidos ou qualquer coisa perdida, que disser “É isto!”, virá a causa de ambos aos juízes; e aquele a quem condenarem os juízes, pagará o dobro a seu companheiro.
A rapôsa diz: Pobre de quem que constrói sua casa sem justeza e seus recintos com injustiça, que usa o serviço do seu semelhante sem remunerá-lo e que não lhe dá o fruto do seu trabalho (Jeremias 22:13).
O cão farejador diz: Justos, exultai no Eterno! Àqueles de coração puro, cabe erguer cânticos de louvor (Salmos 33:1).
O gato diz: Persegui os meus inimigos e os alcancei, e nunca voltei até os consumir (Salmos 18:38)



Sexto capítulo:

Os répteis pequenos dizem: Exulte Israel no louvor a Seu criador; que se alegrem com Seu Rei todos os filhos de Tsión (Salmos 149:2).
Os répteis grandes dizem: Em seu lar, sua esposa será como uma fecunda videira e seus filhos como ramos de oliveira em volta de sua mesa (Salmos 128:3).
A cobra diz: O Eterno reergue todos os caídos, e dá apoio a todos os abatidos (Salmos 145:14).
O escorpião diz: D-us é bom para com todos e misericordioso em todos os Seus feitos (Salmos 145:9).
A lesma diz: Que andem como a lesma que se arrasta, que sejam como o feto natimorto, que não chega a ver a luz do sol (Salmos 58:9)
A formiga diz: Vá para a formiga, ó preguiçoso! Observe seus caminhos, e seja sábio (Provérbios 6:6).
O camundongo diz: Mas Tu és justo em tudo que advém contra mim, porquanto Tu fizeste a verdade e eu pratiquei o mal (Nehemias 9).
A ratazana diz: Que todos os seres vivos louvem o Eterno, Aleluia! (Salmos 150:6).
Os cães dizem: Vinde, pois, adoremos e prostremo-nos em reverência ante o Eterno, nosso Criador (Salmos 95:6).



Rabi Ieshaiahu, Rabi Ieshaia, discípulo de rabi Chanina ben Dossa, que praticou 85 jejuns, disse: Os cães, sobre os quais está escrito: ‘E os cães corajosos, que jamais se saciam, terão o mérito de recitar este canto’. Um anjo lhe respondeu do Céu: ‘Ieshaiahu, até quando praticarás estes jejuns? Desde que revelou este segredo ao profeta Habacuque, D-us havia prometido que não o revelaria novamente a criatura alguma; Mas como você é um grande estudioso, enviaram-me rapidamente dos céus até tua presença e disseram: ‘Sobre os cães está escrito: ‘E a todos os filhos de Israel, não fará dano um cão com a sua língua’. Além disso, aprenderam a beneficiar com suas fezes Tefilin, Mezuzót e Sêfer Torá e por isso eles tiveram o mérito de entoar este canto. Quanto ao que indagastes, dê a volta  e não torne a fazê-lo, como está escrito: ‘Aquele que guarda sua boca e sua língua, se protege da desgraça’. Bendito seja o Eterno para todo o sempre, Amén e Amén. Bendito seja o Eterno desde Tsión, Ele tem Sua morada em Jerusalém! Louvai ao Eterno! Haleluiá! Bendito seja o Eterno, D-us, Senhor de Israel, que, único, faz maravilhas. E seja o Seu glorioso Nome bendito sempre, e seja toda a terra plena de Sua  Glória. Amén e Amén.  



Pedido: IehíÍ Ratzôn: Senhor de Todos os Mundos, seja a Tua vontade, D-us meu e de meus antepassados, que pelo mérito deste canto, o Pérek Shirá, que li e de me ocupei, que é o canto dos reinos mineral, vegetal, animal e anjos celestiais encarregados sobre eles pelo Eterno, Bendito Seja, o canto que liga a Presença Divina a todos os mundos, que conecta os mundos inferiores aos superiores e cuja recitação se assemelha às oferendas sobre o Altar - que seja esta uma hora de escuta, uma hora em que clamamos a Ti e Tu nos ouve, que ansiamos por Ti e Tu nos responde. Que se eleve a Ti a nossa recitação e nossa ocupação com o Pérek Shirá como se tivéssemos compreendido todos os segredos e mistérios ocultos em cada uma de suas manifestações. Faz -nos retornar em completa Teshuvá (arrependimento) diante de Ti e que tenhamos o mérito de alcançar o lugar onde são forjadas a vida, as almas e os espíritos, com se houvéssemos alcançado tudo o que nos designaram alcançar nesta vida e nas vidas anteriores, para que possamos nos elevar e possamos ter o mérito de chegar ao plano onde estão os justos e devotos. Cumpre todos os desejos do nosso coração para o bem e... [insira aqui os seus pedidos pessoais].  Esteja com nossas palavras e nossos corações no momento em que as pensarmos, e com nossas mãos, em tudo o que fizermos. Envia-nos a Tua benção, para obtermos sucesso e tranqüilidade em todas as nossas atitudes. Ergue-nos da humilhação e da pobreza, salva-nos da insegurança e da temeridade. Que o poder contido neste canto adoce o nosso julgamento e que as bênçãos se espalhem por todos os mundos. Que possamos merecer entoar cantos num futuro próximo e que retornes a Tua Presença à Tua Cidade Santa, Jerusalém, breve, em nossos dias, Amén.



Bibliografia e como obter o original em Hebraico veja no site: www.perekshira.com.br

Em Memória de Rav Yaakov Menachem ben Rav Chaim Yehuda Leib, que dedicou-se a divulgar este documento sagrado.

LAST_UPDATED2
 

Banners

Banner


Guper, website, sistemas web e mídias sociais